Capa

Rally do Jalapão: problemas e aprendizado marcam a estréia de Riamburgo Ximenes e Flávio França

Líderes do Campeonato Brasileiro, a dupla nordestina chegou ao Jalapão com a responsabilidade de manter-se à frente do grid mais desafiador do rally nacional. No 1º dia de prova Ximenes e Flávio tiveram problemas, mas seguem firmes na busca pelo título nacional

07.06.2019  |  181 visualizações

 

Dianópolis, TO, 7 de junho de 2019 - Foi dada a largada para 1.200 km’s do mais puro desafio cross country deste semestre no Brasil. O Rally do Jalapão começou nesta sexta-feira, dia 7, e segue até o domingo, dia 9. Serão 729,77km’s de trecho cronometrado. Tudo isso em um tour por trilhas que são verdadeiras provas de fogo. Nesta competição, 95% dos seus trechos são inéditos e acontecem em um dos mais seletivos terrenos encontrados no Brasil, a areia. Não estamos falando de uma areia qualquer, mas de km’s e km’s do mais puro e desafiador areião do Tocantins. A prova é válida como etapa de abertura do Sertões Series e pontua pelo Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country.

1º dia

Depois de um prólogo e um super prime onde décimos de segundos definiram posições, todos largaram para 161,2km’s de trecho cronometrado inseridos em 253,7km’s totais entre as cidades de Luis Eduardo Magalhães, na BA, e Dianópolis , no TO. Riamburgo e Flávio, líderes dentre os UTV’s no campeonato nacional, faziam uma prova limpa até furarem um pneu e terem problemas para efetuar a troca com a agilidade que lhes é característica. Perderam preciosos minutos, o que os deixou 25 minutos atrás da dupla líder do dia, Gabriel Varela e Eduardo Shiga.

“Estávamos num ritmo forte, o nosso UTV vinha numa excelente performance, até furarmos o pneu. Infelizmente, o que deveria nos tomar, no máximo 5 minutos, roubou pouco mais de 22. E em uma categoria em que hoje a diferença entre o 1º e o 2º colocados foi de 2.6 segundos, tempo perdido é um complicador a ser revertido nas próximas etapas. Como a pontuação para o campeonato brasileiro acontece etapa a etapa, esse pode ser um dia de descarte, mas como ainda teremos quase 600 km nos próximos 2 dias, a disputa apenas começou”, afirma Riamburgo.

E para este sábado

Serão 459km’s totais, dos quais 288,10km de trecho cronometrado, entre Dianópolis e São Félix do Jalapão, tudo no Tocantins. Isso significa que amanhã, o comboio do rally vai adentrar na área mais seletiva da região. Serão estradões e estradinhas de muito areião, que se cruzam e confundem caminhos até para o mais experiente navegador. E por falar em navegação, nas próximas etapas as referências físicas começam a se tornar mais escassas em uma região conhecida como deserto. Sim, o Jalapão é um deserto demográfico, nele há água, verde e quilômetros e quilômetros sem nenhum tipo de auxílio. Portanto, a expectativa é que amanhã a soma de areião, calor e alta quilometragem seja capaz de sacudir a competição.

“ A característica que prevalecerá no 2º dia será uma areia pesada, com costelas, valas e isso aliado a uma navegação precisa, que será decisiva para um bom resultado. Vamos andar forte em trechos de estradinhas parecidas, onde do nada surgem 5 opções iguais de caminho,  além da falta de referências físicas e das dificuldades do terreno.  Todos os competidores testarão seus limites e a nossa expectativa é elevar os nossos”, comenta o navegador Flavinho França.

Confira a programação dos próximos dias do Rally do Jalapão/ Sertões Series:

Sábado, 08/06

Dianópolis (TO) -> São Félix do Tocantins (TO)

DI – 124,67 km

TE – 288,10 km

DF – 46 km

TOTAL – 459 km

 

Domingo, 09/06 

São Félix do Tocantins (TO) -> Luís Eduardo Magalhães/BA

DI – 22,31 km

TE – 280,47 km

DF – 213,14 km

TOTAL – 516 km

 

  • No primeiro dia os desafios foram além do esperado
    (AleMoreira)

  • Ximenes e Flavinho terão agora que recuperar posições
    (Luciano Santos)